COMO CONTRATAR UM SÍNDICO PROFISSIONAL




Veja cinco dicas para escolher bem o síndico do seu condomínio

Contratar um síndico que não seja morador pode trazer diversas vantagens para o seu condomínio. Porém, pode ser difícil escolher. Como ter certeza que aquele é o profissional com o perfil certo para o empreendimento?


Abaixo algumas dicas para fazer uma contratação certeira!


1- Experiências anteriores

Quando um condomínio está em busca de um síndico profissional, é importante que este tenha

experiência prévia com o mesmo perfil do condomínio anteriormente. Afinal, se o gestor em questão só cuidou de pequenos prédios, com pouca área comum, seria um desafio e tanto administrar um condomínio-clube multitorres, certo?


O ideal é que, ao buscar um profissional, o condomínio tenha em mente os desafios que irá enfrentar durante a gestão e se certifique que o mesmo tem o conhecimento necessário para vencê-los.



2- Indicação de conhecidos

Se não se sabe por onde começar a procura pelo síndico profissional, o ideal é buscar uma indicação. Pode ser tanto da administradora como do seu condomínio vizinho, que tem um perfil parecido com o seu.


A dica da administradora pode ser levada em conta pois a mesma lida com diversos síndicos

profissionais - com certeza vai indicar um gestor que tenha a bagagem necessária para cuidar bem do seu empreendimento.



3- Atualizações

Um dos diferenciais de se contar com um síndico profissional é a tranquilidade de que o profissional está em dia com as novidades do mercado. Que conheça as normas técnicas para gerir um condomínio, que esteja por dentro das mudanças na legislação que impactam no dia a dia do empreendimento.


Por isso, quando estiver em busca de um síndico profissional, não deixe de questionar sobre quando foi o último curso feito, quais áreas ele considera seu ponto forte e o que ele acha que será mais difícil ao administrar o seu condomínio.


Fique de olho nos profissionais que não estejam atentos às próprias limitações.



4- Tempo disponível

Dependendo do tamanho do empreendimento e do seu perfil, pode ser que a presença do síndico

profissional seja mais ou menos frequente. E isso deve ser discutido com o gestor antes de levá-lo à

assembleia para ser votado pelos condôminos.


Se a comunidade está acostumada com a presença do síndico no dia-a-dia, pode ser que estranhe a ausência do mesmo depois de eleito, já que as visitas não costumam ser diárias, principalmente em empreendimentos de pequeno e médio porte.

Outro ponto importante para perguntar ao profissional é se ele trabalha com equipe ou sozinho. Isso porque o conselho pode achar que estará contratando uma pessoa, mas vai lidar com outra o resto da gestão – os chamados prepostos.


Vai do condomínio entender qual é o melhor cenário para as suas necessidades atuais e de curto e médio prazo. O local vai precisar de alguma grande obra durante o mandato do síndico?


Está tentado atualizar o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros)? Passa por problemas judiciais? Tem alto índice de inadimplência?


Tudo isso precisa ser pesado, pois se traduz em maior necessidade do trabalho do síndico.


5- Cabe no bolso?

Sabemos que contar com um síndico profissional traz diversos benefícios para o condomínio.

Que não é um gasto, é um investimento no patrimônio de todos.

Porém, antes de escolher os candidatos que serão votados em assembleia, é importante saber se os mesmos cabem no orçamento do condomínio. Afinal, não vale a pena cumprir todos esses pré requisitos para depois descobrir que o fee do profissional não cabe no bolso dos condôminos.


Também é importante pontuar que nem sempre o gestor mais caro é o mais indicado para o seu

condomínio.

Quer saber mais? Peça uma proposta da CondoVita e veja como é incrível ter o seu condomínio

administrado pela nossa equipe!

© 2019 por Condovita

  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle
  • Twitter - White Circle